O crescimento de shopping centers e do comércio eletrônico no Brasil levou a população a migrar suas atividades de consumo do comércio de rua para esses locais/canais.

Apesar de representar um ponto positivo para o setor do comércio em geral, esta mudança também traz riscos para o comércio de rua.

A facilidade de estacionamentos, ambiente refrigerado, lazer, gastronomia e mix de produtos são os principais atrativos dos shoppings. E nas lojas online, a praticidade no processo de compra também tem cativado novos públicos.

O comércio de rua precisa investir em soluções de revitalização para agregar valor aos seus produtos/serviços e criar diferenciais competitivos com esses novos modelos de negócios.

Mas a reação do varejo não deve ser uma iniciativa isolada de um lojista em reformar sua fachada ou o layout de sua loja. Para aumentar as vendas da sua loja é essencial o envolvimento de diversos atores e especialmente, que esta seja uma ação coletiva, com o apoio do governo, entidades empresariais e outros parceiros.

O Sistema Sebrae é um deles e criou um boletim que aborda a estratégia para o comércio de rua e aponta atrativos que podem/devem ser gerados ao consumidor.

Projetos desenvolvidos em diversos estados, como Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia e Rio de Janeiro, aplicaram essa ideia e possibilitaram a criação do “Termo de Referência para Projetos de Revitalização de Espaços Comerciais”.

Essa metodologia consolidou os conhecimentos e experiências dessas iniciativas para facilitar a replicação por comerciantes de todo país.

Resumindo, todo este movimento, é baseado em alguns princípios fundamentais:

  • Cultura da cooperação: nenhuma ação isolada gerará resultados sustentáveis. O movimento tem que ser composto por seus diversos atores, como governo, instituições financeiras, entidades de classe e empresários.
  • Preservação do patrimônio: o patrimônio histórico e cultural da cidade ou região precisa ser valorizado. O movimento de pessoas muitas vezes vem puxado pelas atrações não comerciais, especialmente o turismo.
  • Modernização de espaços: lojas precisam ter uma boa apresentação e organização. Fachadas e vitrines que atraiam o público para dentro da loja é o primeiro passo. Mas o interior precisa ter um layout moderno e que favoreça uma boa circulação das pessoas, sinalização eficaz, ambiente climatizado e iluminado. É fundamental que o atendimento seja qualidade, como os produtos e serviços oferecidos. O empresário deve investir nisso.
  • Renovação urbana e social: de nada adianta ter lojas preparadas para receber os clientes se o entorno está em condições precárias. A infraestrutura das ruas precisa ser segura, acessível para todos e atrativa.
  • Políticas públicas de incentivo: o empresário deve viabilizar a redução de impostos das áreas a serem revitalizadas, financiamento de reformas e outros investimentos necessários à melhoria dos negócios. Segurança é imprescindível para o sucesso do comércio de rua. Isso quer dizer: iluminação, policiamento, serviços de transporte, condições de estacionamento e circulação de pedestres.

Três ações que o comércio de rua pode promover para atrair mais consumidores:

1 – Melhorar a identidade do local

Empresas em shoppings, querendo ou não, fazem parte de um grupo que se une para a realização de ações conjuntas de marketing. É o se chama de força do conjunto!

Em datas comemorativas, por exemplo, a administração do shopping realiza promoções para atrair os consumidores. Surge a marca do shopping, ainda que toda ação seja patrocinada pelos seus lojistas.

É justamente o que falta nos espaços comerciais tradicionais. Normalmente as iniciativas de marketing são isoladas. Uma das estratégias adotadas é criar uma comunicação visual que associe uma imagem à principal característica do local.

Essa imagem pode estar ligada à cultura, à arte, à gastronomia ou mesmo a um setor específico de negócios. E a ação começa por investimentos governamentais para a recuperação de fachadas, interiores e ruas ligadas à história local e se estende por melhorias nas pequenas empresas do comércio.

A ideia central é criar uma marca forte para o local e promover os negócios de forma conjunta.

2 – Explorar o conceito de “shopping a céu aberto”

Os Open Malls, conceito vindo dos Estados Unidos nos anos 80 ganharam força no mercado brasileiro. Essa tendência transforma os shoppings em centros comerciais a céu aberto.

Além de ser uma solução arquitetônica que viabiliza a redução de custos de manutenção, é uma opção que oferece um ambiente mais agradável ao público, com interação com o meio ambiente e economia de tempo.

A estrutura mais ampla e com mais áreas de convivência proporciona a mesma segurança e conforto que os shoppings centers.

Um projeto do Sebrae está ajudando cidades do interior do Paraná nessa transformação. Uma pesquisa feita pela entidade mostra que 77% do consumo nas cidades-alvo do programa está ligado aos setores de alimentação, vestuário, cosméticos e remédios.

A ideia é fortalecer a venda de produtos desses segmentos na região central de Marechal Cândido Rondon, Maringá, Francisco Beltrão, Castro e Londrina levando às ruas praça de alimentação, lazer e comércio.

3 – Realizar promoções conjuntas

O comércio tradicional tem muito a ganhar com a organização de promoções conjuntas, com a integração entre outros empresários. As ações podem criar seus próprios temas ou aproveitar datas comemorativas.

Por exemplo, em Florianópolis (SC) a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) já incentivou ações promocionais no centro da capital para movimentar as vendas no Dia das Mães e dos Pais. Lojistas das Ruas Conselheiro Mafra, Francisco Tolentino e Vidal Ramos disponibilizaram serviços para registrar momentos entre pais e filhos, como quiosques fotográficos e caricaturistas.

O desafio dos centros comerciais e lojas de rua é aumentar a percepção do valor dos seus negócios para satisfazer necessidades, expectativas e desejos dos consumidores. Isso tem a ver com valorizar a economia local, atender os diferentes públicos, aproveitar a criatividade e as inovações, que são absolutamente indispensáveis para construção de diferenciais competitivos.

Precisa de um parceiro para revitalizar o seu comércio de rua?

A AGF Soluções em Fachadas pode te ajudar.

Envie seu nome e e-mail para nossa equipe que nós vamos entrar em contato com você e te ajudar a criar uma fachada incrível!

O que você achou desse conteúdo?

Ganhe uma avaliação gratuita da sua empresa e descubra como aumentar as vendas. Começar agora

Deixe seu comentário para a gente